Descubra porque o empreendedorismo social tem gerado inúmeras oportunidades de rentabilidade para novos negócios.

Rodrigo Amazonas Sliwak é CPO da TrackMob e mentorado do Projeto Jovem Empresário.  Empreendedor desde 2013, acredita que se queremos uma mudança no mundo, devemos fazer parte dela. Para ele, o empreendedorismo no terceiro setor está cheio de motivação, mas muito pouca profissionalização. As pessoas trabalham mais pela causa do que pelo negócio e acabam deixando de gerar oportunidades também rentáveis.

É possível trabalhar pela causa social e ainda gerar lucro. Para isto é preciso empresas profissionalizadas e que façam o uso de tecnologia e inovação. Fazendo mais por menos é possível reduzir os custos, aumentar a eficiência dos processos e gerar mais receita.

O grande desafio, no entanto, continua sendo a questão sustentável. Por falta de recursos, muitos trabalhos acabam sendo realizados de maneira improvisada e até informal. Uma organização sem fins lucrativos não significa que tenha que trabalhar sem receita. Gerar recursos financeiros para investir na própria organização e torna-la sustentável é essencial.

A principal fonte de receita é a captação de recursos de terceiros. E muitas empresas deste setor não usam a tecnologia para facilitar este processo de captação, nem gerenciar este relacionamento. Tornar o acesso a informação democratiza esta captação e aumenta a receita. Agora, é preciso profissionalizar o negócio. Como este setor é muito carente, oferecer produtos e serviços que apresentem soluções para a maioria destas empresas é uma excelente oportunidade.

E aí, interessado em fazer a diferença no terceiro setor? Se cadastre na Comunidade Empreendedora, leia na íntegra o artigo completo (AQUI), e ainda colha os benefícios do nosso Programa de Recompensas. Participe agora.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*